• Home
  • »
  • Blog
  • »
  • Gestão
  • »
  • Matriz SWOT: como aproveitar esta ferramenta de gestão
Matriz SWOT capa

A matriz SWOT é uma ferramenta de gestão utilizada no planejamento estratégico das empresas e suas iniciativas. As letras do termo SWOT vem de Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Esta é uma das mais populares ferramentas de planejamento estratégico. Criada nos anos 60, ela é usada para realizar a conhecida Análise SWOT, atividade que consolida pontos chave de uma avaliação estratégica do negócio.

Trata-se de uma técnica de planejamento estratégico usada para ajudar uma empresa a identificar pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças relacionadas à concorrência ou ao planejamento de suas iniciativas. 

O que é a matriz SWOT (ou matriz FOFA)?

Alguns autores atribuem o SWOT a Albert Humphrey, que atuou junto ao Stanford Research Institute (hoje SRI International) nas décadas de 1960 e 1970, usando dados de empresas da Fortune 500. Porém o próprio Humphrey  não reivindicou a criação do SWOT, e as origens desta ferramenta ainda são desconhecidas.

A sigla SWOT vem das seguintes palavras em Inglês:

  • Stength (Força)
  • Weakness (Fraqueza)
  • Opportunities (Oportunidades)
  • Threats (Ameaças)

Assim, utilizando as palavras traduzidas para o português, a matriz também é chamada de “FOFA”, correspondendo às iniciais das palavras traduzidas acima.

Quando olhamos para uma matriz SWOT, vemos um quadro que fornece uma orientação consistente para a busca de soluções. Ela ajuda gestores e executivos a refletir e tomar decisões sobre as informações disponíveis, considerando aspectos externos e internos da organização. 

Matriz SWOT

Quais os quadrantes da matriz SWOT?

Então o que é na prática a matriz SWOT e como ela funciona? Como definir forças, fraquezas, oportunidades e ameaças? Vejamos a seguir quais são os quadrantes da matriz e o que cada um representa.

Quadrantes do ambiente interno

Os quadrantes “forças” e “fraquezas” estão no ambiente interno da empresa. Neste ambiente encontram-se fatores os quais a empresa consegue influenciar diretamente e tomar ações diretas. 

Práticas de gestão, a cultura organizacional, carteira de clientes, patentes, colaboradores, maquinário, políticas, tecnologias, software, filiais - tudo isso são exemplos de elementos que estão no ambiente interno da empresa, e podem representar forças ou fraquezas, dependendo de sua situação.

Se os recursos e capacidades se  transformam em uma vantagem competitiva para a empresa em relação aos seus concorrentes, então são considerados forças. Caso os recursos e capacidades sejam deficiências que a empresa tem em comparação com seus concorrentes atuais ou em potencial, então são considerados fraquezas.

Quadrantes do ambiente externo

Já no ambiente externo, existem diversos fatores sobre os quais a empresa não tem influência direta nem controle, como a inflação, pandemias, fatores climáticos, taxas de juros, variações cambiais, crises econômicas, entre tantas outras.

Apesar de não conseguir controlar fatores externos, é fundamental que a empresa os monitore continuamente, pois eles são base para o planejamento estratégico. Sem esse acompanhamento não é possível identificar em tempo hábil as oportunidades e as ameaças que se apresentam.

Segundo a análise SWOT, uma oportunidade existe quando um fator externo cria um cenário favorável para a empresa. Imagine uma empresa de software de videoconferência em um cenário de uma pandemia. Isso apresenta uma grande oportunidade para esta empresa.

Fatores  que criam um ambiente desfavorável para a empresa, impossibilitando controle e influência direta, são considerados ameaças para o negócio. As fintechs são consideradas ameaças importantes para os bancos tradicionais.

A imagem abaixo resume os 4 elementos da matriz SWOT, relacionando os fatores internos e externos com os fatores favoráveis e desfavoráveis. Por exemplo, as Forças são referentes a fatores internos e favoráveis da organização:

Header

Fatores internos

Fatores externos

Fatores favoráveis

Forças

Oportunidades

Fatores desfavoráveis

Fraquezas

Ameaças

As relações entre os ambientes interno e externo

É importante compreendermos as relações entre os aspectos internos e externos da matriz SWOT. Essas relações são descritas pela tabela a seguir:

Header

Oportunidade

Ameaça

Força

Alavancagem: A empresa tira proveito da situação, pois existe uma oportunidade que encontra os pontos fortes da empresa. Aqui uma sugestão é tomar ações para alavancar a empresa. 

Vulnerabilidade: Neste caso, existe uma ameaça, mas ela é amenizada devido a pontos fortes da empresa.  A sugestão  aqui é desenvolver ações que eliminem ou minimizem as vulnerabilidades.

Fraqueza

Limitações: Ocorre quando tem pontos fracos que impedem o aproveitamento de uma oportunidade. A sugestão  aqui é desenvolver ações que eliminem ou minimizem as limitações.

Problemas: Uma ameaça encontra um ou mais pontos fracos, deixando a empresa vulnerável. A ideia aqui é desenvolver ações que anulem ou minimizem os problemas.

Referência: Maria Candida Torres - “Balanced scorecard

Como definir forças, fraquezas, oportunidades e ameaças?

Identificando forças e fraquezas

Uma das formas mais eficazes para definir forças, fraquezas, oportunidades e ameaças é fazendo perguntas estruturadas. Vejamos algumas perguntas para descobrir forças e fraquezas:

  • Como a nossa capacidade de liderança pode ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva?
  • De que forma nossos talentos podem ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva?
  • Nossas patentes podem ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva? Como?
  • Os nossos sistemas de  tecnologia podem ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva?
  • Como o nosso atual fluxo de caixa pode ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva?
  • A estrutura logística atual pode ser uma vantagem (ou desvantagem) competitiva?

Identificando oportunidades e ameaças

Para avaliar oportunidades e ameaças é através da análise PEST (ou PESTEL) - um acrônimo para análise Política, Econômica, Social e Tecnológica. Alguns gestores adicionaram o fator Legal e Ambiental (Environmental), expandindo e re-ordenando a sigla para PESTEL:

  1. Políticos
  2. Econômicos
  3. Sociais
  4. Tecnológicos
  5. Ambientais (Environmental, em inglês)
  6. Legais

Portanto, para identificar oportunidades e ameaças na matriz SWOT, pergunte quais fatores políticos, econômicos, sociais, tecnológicos, ambientes ou legais podem representar uma ameaça para o negócio.

Como criar uma matriz SWOT

A matriz SWOT é aplicável em qualquer modelo de negócio, seja uma startup ou uma grande multinacional. O importante no exercício de preencher a matriz é a reflexão que é feita de forma colaborativa com uma equipe. 

Na prática, tudo que você precisa para montar sua é de uma planilha do Excel ou mesmo um quadro branco dividido em quatro quadrantes. Abaixo um exemplo de uma matriz SWOT realizada por um grupo de líderes de uma empresa.

Matriz SWOT exemplo

Concluindo, as informações sobre o ambiente externo e os recursos internos da sua organização são cruciais para definir suas estratégias e objetivos e tomar as melhores decisões. Seja você uma startup ou uma empresa de grande porte, é essencial identificar os pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças (SWOT) da sua empresa.

Use a matriz SWOT moderação

Apesar de a matriz SWOT ser uma ferramenta muito conhecida e respeitada pelos profissionais de planejamento estratégico e Balanced scorecards, existe uma falha grave nela. Os gestores em geral navegam em cada quadrante da matriz seguindo a ordem: forças - fraquezas - oportunidades - ameaças. 

Isto pode ser um grande problema! Forças e fraquezas são relevantes somente em relação à estratégia de criação de valor da empresa e seu relacionamento com stakeholders externos. Portanto, o processo deveria ser de fora para dentro, começando com oportunidades e ameaças e, em seguida, olhando para as forças e fraquezas.

De fato, sem este contexto externo, as “forças” mapeadas se tornam uma lista de itens qualitativos que servem para massagear o ego dos executivos (como “nossos colaboradores são engajados”) e as fraquezas passam a ser uma lista de desejos como “falta de sistema de CRM”.

A utilização da matriz SWOT pode ser útil em todos os níveis da empresa para examinar as premissas e afirmações relacionadas às suas contribuições para a estratégia do negócio, seja com uma equipe voltada para o cliente, como vendas, ou um grupo de suporte para clientes internos, como a contabilidade. 

Realmente quanto mais dinâmico o seu mercado e ambiente, mais frequentemente a matriz SWOT deve ser revisada. As afirmações que inserimos na matriz representam nossos modelos mentais e geralmente são inconscientes. Dar clareza à essas afirmações e desafiá-las é um trabalho difícil. 

A maneira mais eficaz de desafiar suposições é em uma equipe que possui um alto nível de confiança e diálogo aberto e transparente. Operar com complexidade requer aproveitar a inteligência e a perspectiva de todos da equipe, junto com o maior número possível de partes interessadas. Quando isso acontece, as chances de sucesso são maiores. 

Conheça nosso Curso Gratuito de OKR

>