O que é gestão de produtos digitais
Gestão de Produtos

Gestão de Produtos Digitais: O Que É e Qual a Sua Importância?

A internet se tornou um grande meio de comunicação e vendas para as empresas. Pensando nisso, confira tudo sobre gestão de produtos digitais!

Em um mundo cada vez mais tecnológico e digital, é impossível não falar sobre a gestão de produtos digitais. Tanto o mercado como o público estão, a cada dia, mais interessados em informações e entretenimento online. 

É claro que a sua empresa também pode investir na comercialização de produtos e serviços pela internet. Mas, o sucesso nunca vem de graça, nesse caso, também é preciso ter um excelente gerenciamento. 

Para te ajudar nessa missão, eu trouxe os fatos sobre o que é gestão de produtos virtuais e como isso faz a diferença. 

Confira!

Treinamento de OKR introdutório e gratuito
Como obter alinhamento, foco e agilidade com OKR

O Que É Gestão de Produtos Digitais?

A gestão de produtos digitais é o conjunto de práticas para administrar tudo o que envolve esses itens (desde o nascimento até o fim da vida deles). 

Vale lembrar que os produtos digitais são todos aqueles feitos digitalmente e disponíveis ao público por meio online. Eles variam muito com relação ao serviço e conteúdo oferecido. Posso citar como exemplos: 

  • aplicativos financeiros;
  • cursos;
  • jogos;
  • streamming de música, filmes e séries;
  • e-books;
  • entre tantos outros.

Qual a Importância da Gestão de Produtos Digitais?

Gerir os produtos digitais é algo extremamente importante, uma vez que ajuda a conectar as verdadeiras necessidades dos clientes a tudo o que será comercializado. 

A sincronia faz com que o sucesso da empresa seja viável e/ou expandido. 

Além disso, a gestão também é essencial para atrelar melhor o trabalho de todos os profissionais e de todas as equipes envolvidas no produto

Outro ponto é que ela ajuda a analisar os indicadores-chave e, assim, ter a certeza de que eles estão a caminho dos objetivos estabelecidos previamente. 

Ótimos Exemplos de Empresas e Seus Produtos Digitais 

O primeiro caso é o da Netflix — plataforma de filmes, séries e documentários. 

A empresa norte-americana já era um sucesso há anos, mas em 2020, bateu o recorde de assinantes, chegando a 38 milhões (acréscimo que totalizou 203 milhões de clientes espalhados pelos quatro cantos do mundo). 

A alta procura teve muito como consequência, a pandemia causada pela Covid-19. Sem poder sair de casa, as pessoas recorreram ao streamming para ter entretenimento e diversão no confinamento. 

De qualquer maneira, vale ressaltar que a Netflix consegue ser um sucesso porque cria filmes e séries constantemente. Todo mês é possível encontrar vários lançamentos na plataforma. 

Além disso, utiliza algorítimos de classificação para criar listas de programações personalizadas, conforme o perfil dos clientes. 

As startups também encontram aqui como excelentes cases de sucesso. 

A Spotify, fundada em 2008 na Suécia, ganhou notoriedade no mundo dos produtos digitais. Isso porque ela oferece uma imensa quantidade de músicas, playlists e podcasts. 

Assim, os usuários podem ouvir bons conteúdos a qualquer hora e lugar, sem precisar fazer o download de músicas e criar suas listas. Tudo já está pronto e disponível no Spotify. 

A startup também possui dois modos de oferta: grátis e premium (sem interrupções de propagandas e com a liberdade de mudar de música quantas vezes a pessoa quiser).

Outros exemplos interessante são os das startups: Nubank, Uber e Ifood. 

Vale a pena sempre acompanhar as estratégias delas! 

5 Estratégias Para Gestão de Produtos Digitais

Como vimos anteriormente, a gestão de produtos digitais é um fator diferencial para quem quer sair à frente da concorrência e ter sucesso. 

Então, confira cinco passos importantes para adotar no dia a dia:

1. Conheça Seu Cliente

Um produto digital bem sucedido é aquele que atende às expectativas e, ao mesmo tempo, resolve os problemas dos clientes, certo? 

Desse modo, para alcançar o pico, é imprescindível conhecer o seu público-alvo. Só assim dá para saber e entender quais são as “dores” dele. 

A total consciência também te ajuda a descobrir outros fatores importantes, como: qual tipo de linguagem, canais de comunicação e faixa de preço aplicar.

Todo esse cuidado e disposição para saber mais do público deve ser constante e não apenas antes de um lançamento do produto. 

Afinal, todo feedback pode te ajudar a aprimorar as estratégias e as vendas.

como OKR ajuda a gestão de produtos digitais

2. Planejamento

A gestão de produtos também depende muito de planejamento. Antes de tudo, conheça a fundo o mercado onde você está inserido. 

Nesse passo, desenvolver ou reformular um plano de negócios é interessante. O método reúne os principais pontos sobre uma empresa, como: análise sobre o seu nicho, público-alvo, recursos financeiros, plano operacional e plano de marketing. 

Depois de ter a visão macro, volte a observação para o produto digital. Todo o ciclo de vida dele também precisa seguir um cronograma.

3. Entregue Logo e Entregue Sempre

Quando você consegue definir quem é o seu público-alvo, sobretudo, quais são as “dores dele”, já dá para colocar o produto digital para rodar. 

Para as próximas produções, procure entregar logo e entregar sempre! Afinal, você já vai saber com quem está se comunicando, então, é possível dar um pouco mais de agilidade aos processos. 

A rapidez é vista como algo positivo aos olhos do cliente. 

4. Seja Data-Driven

O termo “ser um data-driven” significa tomar ações sempre baseadas em dados, nada de achismos. 

Até porque, estamos falando de negócios e investimentos, se você der um passo em falso pode prejudicar muito a sua empresa. 

Todas as tomadas de decisões devem ser realmente bem estruturadas. 

Caso você ainda sinta falta de uma fonte de informações bacana, sugiro usar o Lean Canvas — método criado para empreendedores pensarem no triângulo: cliente-problema-solução na hora de criar e vender produtos. 

5. Foque no Engajamento

“Engajamento” é uma palavra comum, repetida inúmeras vezes no mundo digital. 

O significado dela é basicamente a relação entre empresa e cliente. Quanto mais identificação e troca de impressões houver, melhor o engajamento. Para conseguir tudo isso, de novo: é preciso focar na dor do cliente. 

Fora esse ponto, aproveite as redes sociais para fazer postagens, crie títulos de produtos digitais criativos e converse com as pessoas para saber a opinião delas.

Qual a Rotina de Um Profissional Que Faz a Gestão de Produtos Digitais?

A rotina de um gestor de produtos digitais é conhecer a fundo os clientes, ser realmente curioso sobre o que os usuários tanto procuram. 

Muito além da comunicação com o público, é fundamental coletar e analisar dados e informações (seja por pesquisas com os clientes ou, ainda, por estudos em ferramentas digitais — Google Analytics é um bom exemplo disso). 

Outro hábito é fazer a “tradução” do que o público deseja para as equipes de trabalho e, ao mesmo tempo, acompanhar o desenvolvimento das tarefas e os indicadores de sucesso. 

Como o OKR Pode Ajudar Um Profissional Que Faz a Gestão de Produtos Digitais?

Gestão de produtos digitais

Conclusão 

Já parou para pensar em qual será o próximo lançamento da sua empresa? Aproveite a metodologia OKR para te ajudar a traçar os objetivos e resultados-chave dos negócios

Depois, é hora de aplicar a gestão de produtos digitais e acompanhar de perto a reação do seu público-alvo. 

Só não perca tempo, pois a sua concorrência provavelmente já está fazendo tudo isso! 

Também não deixe de conferir outras dicas como essas aqui no blog Thomaz Ribas

Read More
Lean Canvas
Gestão de Produtos

Lean Canvas: O Que É, Importância e Como Adotá-lo na Sua Startup?

Descubra o que é Lean Canvas e como isso pode te ajudar a estruturar o produto de uma startup! Inove com mais clareza e chances de sucesso!

SUMÁRIO

Você já ouviu falar em Lean Canvas? Esse é um método excelente para quem quer criar uma startup ou um novo produto, mas não sabe por onde começar. 

Dentro do conceito, podemos encontrar nove passos que ajudam a estruturar o seu modelo de negócios e, dessa forma, aumentar as suas próprias chances de sucesso. 

Excelente, não é mesmo? Então, continue a leitura e veja como dar o primeiro passo!

Receba uma consultoria de OKR completa e personalizada. Saiba como!

O Que É o Lean Canvas?

O Lean Canvas é um método baseado no Business Model Canvas (Canvas de Modelo de Negócios) e serve para estruturar uma startup e seu produto em início de atuação no mercado. 

Na prática, o novo empreendedor deve adicionar algumas características da empresa no canvas, a fim de validar as suas próprias hipóteses.

O método foi criado por Ash Maurya, empreendedor, palestrante e conhecido por seus conselhos práticos para que está construindo novas empresas e produtos.

Como Funciona o Lean Canvas?

O Lean Canvas funciona como um quadro composto por nove pontos, todos relacionados à estruturação da startup (público-alvo, proposta de valor, receita, custos, problemas, soluções, vantagem competitiva e mais). 

Todos os tópicos precisam ser preenchidos, conforme as características da nova empresa. No fim, é possível ter a resposta do quanto o investimento pode ser valioso.

Qual a Importância do Lean Canvas Para o Desenvolvimento de Uma Startup?

Agora que você já sabe o que é o Lean Canvas, é preciso entender a importância dele. 

O fato é que liderar um novo negócio e um novo produto é extremamente diferente de outras atuações profissionais.

É por isso que muita gente, às vezes, até tem uma ideia bacana, mas não sabe o que fazer no início. 

Como esse investimento no novo negócio é mesmo desafiador, então, o melhor é estruturar bem a sua ideia. Assim, você correrá menos riscos.

Essa precaução é 100% viável com o Lean Canvas!

O método mostra se a nova empresa à vista tem realmente características de uma startup: proposta de valor inovadora para os clientes e estrutura escalável. 

Além disso, o quadro faz com que o empreendedor entenda o mercado mais rápido, ou seja, diminui o investimento em dinheiro e tempo. 

Quais os Blocos do Lean Canvas?

Mas, afinal, por onde começar? A seguir, você confere o passo a passo do Lean Canvas. 

Segmento de Clientes

Você realmente sabe quem são os seus clientes em potencial? Qual o perfil deles?

Quais as características do seu cliente ideal? É preciso ter essa definição muito bem clara. 

Além disso, caso haja mais de uma persona, recomendamos que você desenvolva um Lean Canvas para cada uma delas. 

Todo o cuidado e atenção nessa parte é fundamental, até porque, sem resolver os problemas da persona, o negócio fica sem sentido. 

Problema

Aqui, basicamente, você deve colocar quais são os principais problemas dos clientes que a sua startup está disposta a resolver. 

Quais problemas surgem na vida de seus clientes-alvo, para os quais eles irão querer seu produto? Descreva bem esses problemas!

Solução

Já no tópico solução, o empreendedor deve dizer quais são as soluções aplicadas aos produtos ou serviços desenvolvidos. 

Esboce o produto mais simples que você poderia construir para resolver cada problema identificado anteriormente.

Cabe aqui, também, a criação de um MVP (produto mínimo viável), que representa um produto de baixo custo para a startup. Ele serve para entender a reação do consumidor e do mercado no geral. 

O que é o Lean Canvas?

Fluxos de Receitas

Mais uma parte do método em pauta é estabelecer o valor dos produtos e serviços. Algumas perguntas a serem respondidas aqui são:

  • De onde virá a receita?
  • De que forma você irá cobrar pelos produtos e serviços?
  • Como teremos lucro?
  • Haverá preços diferentes para produtos e pessoas diferentes?

Proposta Única de Valor

Lembre-se: uma startup precisa apresentar e oferecer um serviço de valor. Então, qual é o seu?

Por que seu produto é diferente e merece atenção? Qual a essência dele em poucas palavras? 

É preciso realmente agregar mais valor ao seu público-alvo. Pense e anote, neste tópico, quais são os seus diferenciais. 

Canais

Neste bloco você deve pensar nos caminhos para chegar até os clientes mapeados.

A tarefa, nesta etapa, é pensar e definir por quais canais de comunicação você divulgará os seus produtos e/ou serviços. 

Claro, pense sempre naquilo que for mais acessível para o seu bolso e, também, para os seus clientes. 

Métricas-chave

Aqui, você deve escolher as métricas chave que representam o sucesso do seu negócio e seu produto e, consequentemente, em sucesso da sua startup

Como saber se seu negócio está funcionando conforme o esperado? As métricas-chave devem responder a essa pergunta.

Estrutura de Custos

A gestão de custos é um ponto-chave para qualquer negócio, sem isso, não é possível entender a viabilidade financeira do negócio, manter as contas em dia e ter o lucro previsto. 

Sendo assim, anote todos os custos fixos e variáveis relacionados ao negócio. 

Vantagem Competitiva

Por fim, mas não menos importante, pare alguns minutos e estabeleça quais são os diferenciais do novo negócio. 

O nome original deste bloco é "Unfair Advantage" (vantagem desleal, na tradução literal). 

Afinal, é preciso realmente agregar valor ao cliente e, mais do que isso, fazer a diferença no mercado. 

Pense que, nos últimos nove anos, o número de startups, no Brasil, cresceu 20 vezes. Ou seja, é necessário pensar bastante para se destacar em meio a tanta novidade. 

O que o torna exclusivamente capaz de resolver os problemas identificados? O que o torna difícil de ser copiado? Responda a essas perguntas neste bloco.

Como Preencher o Lean Canvas?

O Lean Canvas deve ser preenchido passo a passo, sempre pensando nas hipóteses da sua startup. 

Dica: independente se você está usando um canvas físico (papel) ou digital, não escreva diretamente no canvas. Utilize post-its para ter mais flexibilidade.

Então, com base no que mostrei no parágrafo anterior, você deve responder aos seguintes tópicos: 

  • Problema
  • Segmento de Clientes;
  • Solução;
  • Fluxos de Receitas;
  • Proposta Única de Valor;
  • Canais;
  • Métricas-chave;
  • Estrutura de Custos;
  • Vantagem Competitiva. 

Essa sequencia acima é uma sugestão, mas o Lean Canvas pode ser preenchido de forma iterativa e não linear.

No Lean Canvas, todos esses elementos ficam dispostos em um quadro. Veja um exemplo simplificado de um negócio de cervejas orgânicas:

Lean Canvas Thomaz Ribas

Imagem: tommorkes.com

Dessa forma, fica bem mais fácil visualizar todos os aspectos, depois que você tiver preenchido tudo, claro. 

Quais os blocos do Lean Canvas?

Qual a Diferença Entre o Business Model Canvas e o Lean Canvas?

Business Model Canvas

O Business Model Canvas (Quadro de Modelo de Negócios) serve para o empreendedor estruturar a empresa de uma forma mais estratégica, pensando na criação ou na reformulação de um modelo de negócios. 

O método não só pensa no cliente e na proposta de valor, como também nos recursos usados e nas atividades-chave. É um jeito amplo de pensar nos negócios. 

Lean Canvas

O Lean Canvas, por sua vez, também ajuda na estruturação da empresa, mas o foco aqui é a tríade: cliente-problema-solução. Ou seja, ele é específico e não tão amplo quanto o Business Model Canvas. 

Justamente por tudo isso, o Lean é muito indicado para startups, pois foca no tipo de produto a ser lançado, naquilo que tem o poder de solucionar problemas e, assim, agregar muito valor aos olhos do cliente. 

Precisa de ajuda para melhorar seu processo de OKR? Conheça nossa consultoria.

Conclusão 

Agora você já tem todo o conhecimento necessário sobre Lean Canvas para dar os primeiros passos. Então não fique só na teoria, é fundamental “colocar a mão na massa” e definir os pontos da sua startup. 

Aliás, para um resultado bem-sucedido, também é preciso pensar nos objetivos e resultados-chave dos negócios. 

Sobre isso, você pode contar com a minha consultoria em OKR, além de outros conteúdos aqui do blog Thomaz Ribas

Aproveite e comece o seu empreendimento da melhor maneira! 

Read More
O que faz o Product Manager
Gestão de Produtos

O que é e o Que Faz um Product Manager?

Um dos papéis mais procurados pelas empresas nos últimos anos é o de Product Manager. Traduzindo para o Português, o significado é Gerente de Produto. Cada vez mais encontramos cursos e formação para Product Managers mundo afora.

Porém, ainda existe muita dúvida no mercado sobre o que de fato é responsabilidade de um Product Manager e o quanto difícil é exercer este papel.

Consultoria de OKR
Saiba como ajudamos a acelerar o sucesso de OKR na sua empresa.

O Que É o Product Manager?

Antes de falar sobre o papel do Product Manager, é importante compreendermos sobre o que é de fato gestão de produto (Product Management). 

O que é gestão de produtos (Product Management)?

Uma das definições mais simples e diretas que conheço para gestão de produtos foi criada por Martin Eriksson.

Ele descreve a Gestão de Produtos como (tradução livre) “a intersecção entre negócio, tecnologia e experiência do usuário”.

Este conceito é ilustrado na imagem abaixo.

O que é Product Manager

Fonte: Martin Eriksson

Por trás desta definição curta existe uma imensa complexidade nesta disciplina que engloba inúmeras atividades do ciclo de vida de um produto.

Análise de mercado, desenvolvimento do produto, lançamento, posicionamento e marketing são alguns dos temas que fazem parte da arte da gestão de um produto, especialmente produtos digitais

Neste sentido, espera-se que um Product Manager tenha profunda experiência em pelo menos um dos componentes da definição acima.

Além disso, segundo Martin, bons Product Managers devem ser apaixonados pelos 3 temas (negócio, tecnologia e experiência). 

O Que Faz um Product Manager?

Vamos aprofundar um pouco mais sobre qual o papel do Product Manager. 

Segundo Marty Cagan, grande referência mundial em gestão de produtos, o trabalho dos gerentes de produto é descobrir produtos que sejam valiosos, úteis e factíveis.

Não é por acaso que bons Product Managers estão, em geral, entre os profissionais mais talentosos da empresa. De fato eles têm a missão de avaliar oportunidades e definir o que construir e entregar aos clientes.

Essa responsabilidade é tão grande que Marty arrisca dizer que “se o produto tem sucesso, todos fizeram bem seu trabalho, mas se ele falhar, a falha é do Product Manager”.

Desta forma, podemos elencar algumas responsabilidades importantes para este papel.

Conhecimento do cliente

Conhecer a fundo os clientes e usuários do produto é algo primordial para qualquer Product Manager. 

Não estamos falando de “saber o que o cliente quer”, mas sim de saber com profundidade as suas dores, desejos, problemas, como pensam, como tomam decisões de compra, porque se comportam como tal,...

Você percebe a complexidade deste papel? Está longe de ser um papel tático. É altamente estratégico!

Diferença Product Manager versus Product Owner

Conhecimento do negócio

Além de conhecer muito bem seus clientes e usuários, bons Product Managers entendem o negócio profundamente

Eles sabem em que contexto seu produto está inserido no mercado, compreendem seu ecossistema, os stakeholders (internos e externos) e suas restrições.

Além disso, é preciso conhecer sobre o setor específico no qual o produto está inserido (e-commerce, banking, varejo, saúde, etc…). 

Isso inclui conhecer os principais concorrentes, produtos alternativos, tendências do setor e mudanças no comportamento dos clientes deste setor.

Análise de dados

Para compreender a fundo o comportamento do cliente, o Product Manager precisa ter familiaridade com análise de dados. Neste sentido, saber estatística básica e Analytics é fundamental.

Os melhores Product Managers que conheço passam boa parte de seu tempo em ferramentas de analytics, procurando correlações nos dados, avaliando as vendas, o uso do produto e tendências das principais métricas.


Qual o perfil de Product Managers?

Ao observarmos os Product Managers de maior sucesso no mercado, vemos que eles têm algumas características pessoais em comum.

Em primeiro lugar, eles aprendem muito rápido e isso os ajuda a experimentar diferentes soluções para os problemas dos clientes, potencializando o sucesso do produto.

Em segundo lugar, eles não se conformam com o status quo. Ao se depararem com desafios no produto, fazem de tudo para sair da zona de conforto e buscar algo mais, mesmo que isso implique em enfrentar algumas resistências ou políticas internas na empresa.

Liderança é um terceiro aspecto. Ótimos Product Managers literalmente lideram, desde a concepção da visão. Essa liderança é, mais que nada, por influência e não por autoridade. Isso requer escuta ativa e senso de presença (elementos da inteligência emocional).

Além disso, a comunicação é uma habilidade fundamental para este papel, dado que ele está o tempo todo se relacionando com Product Designers, engenheiros de software, profissionais de marketing, demais gestores, etc. 

Planilha de OKR

Baixe agora gratuitamente

Quais os tipos de product manager?

Segundo Marty Cagan, um dos maiores especialistas em gestão de produtos, existem basicamente 3 formas de um Product Manager trabalhar. Porém, apenas um deles tem sucesso. Vejamos quais são.

Product Manager administrador de backlog

Infelizmente na maioria das empresas encontramos Product Managers que no fundo estão organizando e administrando o backlog dos produtos e times. E isso dificilmente escala.

Isso acontece nas empresas que acreditam que basta alguém realizar um curso de 2 dias de Product Owner (algo como o curso CSPO da Scrum Alliance) que já está apto para ser um Product Manager.

Product Manager baseado em comitês

Neste cenário, o Product Manager na verdade organiza reuniões e leva para um comitê as decisões do produto. Nessas reuniões ocorre então uma série de argumentações (ou brigas) com relação ao que fazer no produto.

Isso acontece muito em grandes empresas, nas quais o PM é no fundo um administrador do roadmap do produto.

Product Manager que simplesmente faz seu trabalho

Cagan diz que "product managers estão entre os talentos mais fortes da empresa". Trata-se de um papel extremamente difícil que demanda muitas habilidades.

Além de conhecer de tecnologia e negócios muito bem, ele precisa ter credibilidade entre os executivos, respeito pelo time do produto e profundo conhecimento do cliente, além paixão pelo produto!

Ou seja, não é tarefa para qualquer pessoa.  

Como funciona o dia a dia de um Product Manager?

No fundo o PM é aquele que avalia oportunidades e define o que será construído e entregue aos clientes. Ele precisa garantir que o que está no Backlog do Produto faz sentido.

Principais desafios de um Product Manager

De fato não é nada fácil assumir o papel de Product Manager. Porém, trata-se de uma missão muito gratificante, uma vez que impacta a vida de muitas outras pessoas, internas e externas à empresa.

O desafio está em ser criativo e persistente ao mesmo tempo. Criatividade no sentido de ser curioso, testar diferentes ideias e aprender rápido e pensar fora da caixa para resolver problemas.

Persistência no sentido de buscar sempre algo mais para o negócio e para o produto. Será preciso energia para manter uma forte comunicação entre diferentes áreas, ao mesmo tempo que com os clientes.

O que move um Product Manager é a sua própria paixão pelo produto. Se essa chama não estiver acesa, o trabalho se tornará enfadonho e cansativo.

4 Dicas para ser um Product Manager de sucesso

A seguir algumas recomendações para ter sucesso como Product Manager.

Conheça a fundo o cliente

Se torne um grande especialista nos seus usuários e clientes. Você precisa se tornar a pessoa de referência na empresa quando o assunto é o produto e os clientes. 

Devore os dados

Para conhecer o cliente precisamos entender o que eles estão fazendo no nosso produto. Para isso, dados e conhecimento de Analytics são fundamentais.

Um Product Manager pode até delegar as análises de dados para algum analista, mas as análises dos dados e a compreensão do comportamento do cliente é algo que um PM precisa fazer.

Conheça a fundo o negócio

Fundamental também é compreender a fundo os stakeholders envolvidos no negócio, as restrições que existem na empresa e como o produto se relaciona com as diversas áreas na organização.

Toda empresa tem restrições (de diferentes naturezas, não somente orçamentárias) e cabe ao Product Manager compreender e lidar com essas restrições.

Compreenda bem o seu mercado

Bons Product Managers conhecem bem seu mercado de atuação, os concorrentes, tendências tecnológicas e expectativas dos clientes.

É preciso estar antenado a tudo isso, principalmente no momento atual de tantas mudanças no mundo.

Como se tornar um Product Manager: Formação

Para se tornar um Product Manager, não basta fazer um curso de 2 dias de um framework como o Scrum. É preciso explorar as diversas perspectivas que trazemos neste artigo.

Uma das minhas referências é o trabalho do Silicon Valley Product Group, então recomendo que você pesquise os cursos e materiais deles.

Não existe um curso ou formação "oficial" para Product Manager, uma vez que é uma jornada de longo prazo.

Quanto Ganha um Product Manager?

A resposta para esta pergunta varia bastante, obviamente de acordo com a experiência e senioridade. Mas esta pesquisa mostra que em 2021 o salário médio de um Product Manager era de R$21.000,00 por mês.

Este outro estudo mostrou que, nos Estados Unidos, o salário anual médio de um Product Manager é de US$140.289 por ano.

Product Manager vs Product Owner: Qual a Diferença?

A diferença entre Product Manager e Product Owner é algo debatido a muito tempo dentro da comunidade de agilidade e Gestão de Produtos. 

O termo Product Owner surgiu como um dos papéis prescritos no framework Scrum. Uma das atividades mais frequentes deste papel é a administração do Backlog do Produto (sua organização e priorização). 

Existem algumas certificações no mercado que são obtidas, em geral, com workshops de 2 dias que ensinam algumas práticas ágeis de concepção e entrega de produtos de forma ágil. 

O fato é que o trabalho que comumente se atribui a um Product Owner representa uma pequena parte do que um Product Manager faz na prática. 

Segundo Marty Cagan, em empresas de produtos digitais, é fundamental que o Product Manager também seja o Product Owner.  Separar o trabalho nesses 2 papéis pode trazer problemas como lentidão e dificuldade para inovar. 

Aqui neste artigo sobre Product Owner eu explico um pouco mais sobre este debate.

 

Como o OKR Tornará o Dia a Dia do Product Manager Mais Eficaz?

Uma das ferramentas mais eficazes para ajudar o Product Manager a mensurar e ter sucesso com seu produto é OKR - Objectives and Key Results.

OKR é um framework muito poderoso para gerar foco e alinhamento durante todo o ciclo de vida de um produto. 

Infelizmente vemos todos os dias times de produto utilizando OKR de forma equivocada, adotando OKR para listar funcionalidades ou entregas. Este não é o propósito de OKR.

Quando times de produto adotam OKR de forma correta, percebe-se um aumento no foco para a geração de benefícios mensuráveis, mais do que foco em entregar itens de um backlog.

A ideia com OKR é que, ao invés do modelo tradicional no qual define-se objetivos para gerentes (ou qualquer variação de níveis hierárquicos), definem-se OKRs para os produtos.

Desta forma, OKRs quando definidos de forma eficaz, representam benefícios mensuráveis, seja para o negócio, para os clientes ou para os colaboradores.

Certamente a performance de um time de produto não é medida pela quantidade de código que eles entregam (ou pela quantidade de Story Points), mas pelo impacto gerado. 

Assim, OKR é uma ferramenta crucial para um Product Manager, dado que bons Key Results irão definir o que é sucesso para o produto.

Consultoria de OKR
Saiba como ajudamos a acelerar o sucesso de OKR na sua empresa.

Conclusão

Concluindo, o trabalho de um Product Manager requer alta resiliência e persistência e é extremamente complexo e desafiador. 

Liderar a construção da visão de um produto, projetar soluções para os problemas dos clientes e conectar diferentes stakeholders não é tarefa para qualquer um. 

Excelentes Product Managers são raros e também humildes, pois sabem que produtos incríveis não são feitos por um único líder, mas por pessoas incríveis que colaboram intensamente.

Read More